A Câmara Municipal de Capelinha, de maneira quase inédita, conseguiu e um dia discutir e aprovar um projeto de lei de suplementação orçamentária no valor de 9,5 milhões de reais, do qual parte do valor é para pagamento de funcionários.

Até ontem, o projeto de lei 032/2020, encaminhado pelo legislativo, estava tramitando na Câmara com previsão para ser debatido no dia 08/10 na reunião das comissões, foi antecipado para a manhã desta terça-feira, 6 de outubro.  

Na manhã de hoje com a presença de todos os vereadores e de representantes da assessoria contábil da Prefeitura de Capelinha e da Câmara os vereadores sentaram para discutir o projeto nas comissões.

Durante a reunião das comissões, os vereadores da oposição disseram que a responsabilidade pelo atraso do pagamento é de responsabilidade do prefeito. Já os vereadores da base falaram da omissão da Câmara em relação ao projeto que foi encaminhado pelo município em caráter de urgência.

Agora a tarde, por unanimidade e após muitas discussões e debates, o projeto foi aprovado pelos Vereadores.

Desde o dia 16 até o momento, a Câmara municipal teve 14 dias úteis para debater o projeto.

Eu usei vocês sim

Ao comentar sobre o áudio que circulou ontem a respeito do projeto, o Vereador Santo Kapeta fez questão de ressaltar que soltou o aúdio para pressionar os vereadores a votarem o projeto. “Eu só queria dizer que eu usei vocês sim, isso é uma artimanha política que talvez vocês não sabem. Eu usei vocês para poder votar o projeto e como vocês estão aqui, a pressão funcionou”.

Câmara engessou o trabalho da Prefeitura, diz Santo Kapeta

O orçamento de 2020, aprovado no final do ano passado, no valor de 89 milhões de reais foi apresentado pelo município com o pedido de 20% de suplementação, no entanto, a Câmara concedeu a suplementação de apenas 10% para o município.

Segundo Santo Kapeta, do PSL, a decisão da Câmara em reduzir para 10% o valor da suplementação do orçamento, engessou o orçamento do município. “Eu votei contra na época por que eu sabia que o resultado seria esse”, enfatiza.

Cleuber Luiz diz que foi ameaçado

A Pressão popular encima dos vereadores para que o projeto de suplementação fosse aprovada foi resultado de diversas falas na Câmara. Por um lado, o vereador Tozão da Cana, em seu pronunciamento para aprovação do projeto, disse que a aprovação do projeto foi fruto de uma pressão do povo e não por boa vontade dos vereadores. “Se fosse por alguns vereadores desta casa, esse projeto não saia do papel”, enfatiza Tozão da Cana.

Já o vereador Cleuber Luiz, em sua fala pela aprovação do projeto, disse que vem sendo ameaçado por pessoas. “Estamos sofrendo ameaças”, declara ele.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui