De acordo com defesa, Gilvan Nunes, que estava cumprindo mandado de prisão preventiva após ser acusado de ser suposto mandante de crime, poderá responder processo em liberdade para provar inocência e exercer normalmente cargo no legislativo do município. 

Por Amanda Rodrigues – Jornalista  

O vereador do município de Leme do Prado, Gilvan Nunes Xavier, mais conhecido como Russo, foi solto na tarde desta quarta-feira (24) em Turmalina após cumprir um mandado de prisão preventiva. O membro do legislativo do município, que foi reeleito para exercer o terceiro mandato, foi preso em dezembro do ano passado por uma acusação de ser o suposto mandante de um homicídio ocorrido em 2012.  

A determinação de soltura de Russo foi dada por meio de uma decisão da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais em razão de um habeas corpus impetrado por sua defesa, e, a partir de agora, o vereador poderá responder ao processo em liberdade.  

De acordo com os advogados de defesa do vereador, Dr. Bruno Barroso e Dr. Rodrigo Bebiano Pimenta, a decisão judicial permite que ele volte à rotina normal. “O senhor Gilvan irá responder ao processo em liberdade agora, suas atividades como vereador podem ser exercidas normalmente por lei, uma vez que ele não foi julgado e nem condenado por ser mandante do crime, e ainda reafirmamos a inocência dele, que será confirmada no final do processo”, disseram.  

Ainda na tarde de ontem, as testemunhas de defesa e acusação e os supostos autor e mandante do crime, foram intimados a participarem de uma audiência virtual, porém, por uma falha no sistema, os depoimentos foram remarcados para o dia 10 de março.  

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui