PESQUISA: Zema lidera no interior, mas Kalil vence na região metropolitana

0

Pesquisa do Instituto DATATEMPO sobre a eleição para o governo de Minas indicou uma diferença significativa entre os votos dos eleitores do interior do Estado e os de Belo Horizonte e região metropolitana da capital. O governador Romeu Zema (Novo) vence em todas as regiões do Estado, com exceção da região metropolitana de BH, onde Kalil leva vantagem. 
Na capital e em cidades da Grande BH, Kalil aparece quase 14% acima de Romeu Zema, com 43,91% das intenções de voto a 30,38%. Carlos Viana segue em terceiro, com 4,96%.

No Sul e Sudoeste de Minas, onde Zema tem a maior vantagem para os outros candidatos, o governador aparece com 60,78%, contra 4,7% de Kalil e 4,3% de Viana. Na região Noroeste de Minas, Zema também leva grande vantagem, com 60,5% das intenções de voto, contra 7,8% de Kalil e 2,6% de Viana. 

Chances de voto

Pub Artigo

De acordo com o levantamento feito entre os dias 30 de abril e 5 de maio, os moradores da região metropolitana de BH possuem 58% menos chances de votar no governador Romeu Zema quando comparados com os das demais regiões do Estado. Já para Kalil, as chances de receber os votos dos metropolitanos aumentam em 591% em comparação com outras regiões. PUBLICIDADE

“Hoje, a principal base de Kalil é a região metropolitana de Belo Horizonte que, apesar de ser a mais populosa do Estado, representa apenas um quarto do eleitorado mineiro. Para diminuir a distância do atual governador, Kalil precisará se estabelecer como um candidato viável em regiões em que Zema tem até nove vezes mais o número de intenções de votos apresentados por Kalil. Trabalhar quadros de campanha voltados para a população mais jovem pode ser uma boa plataforma de conquista de votos para o ex-prefeito da capital, já que este grupo é pouco tendencioso ao atual governador e um campo não conquistado por Kalil. As críticas aos que são hoje os principais pontos fracos de Zema, como entraves no diálogo com a Assembleia Legislativa e a indisposição de voto de servidores públicos, também deverão ser peças essenciais na campanha de Kalil”, avalia Bruna Assis, analista da pesquisa DATATEMPO, que ressalta a baixa popularidade do atual governador entre o funcionalismo. 

Dificuldades

A analista, no entanto, aponta a dificuldade que o ex-prefeito de Belo Horizonte tem encontrado para conseguir elevar seus índices de intenção de votos, com um aumento pequeno desde a última pesquisa, no final do ano passado. 

“O ex-prefeito da capital mineira se coloca como a alternativa mais forte ao atual governador, mas encontrará grandes dificuldades para superar os altos percentuais de Zema e se eleger. Embora o percentual de rejeição de Kalil tenha caído de forma significativa desde novembro de 2021 – última rodada da pesquisa DATATEMPO –, a possibilidade de voto no candidato cresceu apenas 3,8 pontos percentuais, enquanto o percentual de desconhecimento aumentou 7,6 pontos”, diz Bruna Assis.

A coordenadora de pesquisas do Instituto DATATEMPO, Audrey Dias, registra que o trabalho para Zema é mais fácil do que para o ex-prefeito da capital. “Para Zema, a situação está bem mais confortável. Ele registra intenções de voto elevadas em todo o interior, o que corresponde a dois terços do eleitorado, e ainda tem tempo para ampliar na Região Metropolitana. O ponto de atenção para o atual governador, é com questões que, nitidamente, geram conflitos para sua administração, como, por exemplo, o caso da mineração da Serra do Curral, em que seu governo vai de encontro a um sentimento que parece ser majoritário da população”, explicou. 

Pesquisa DATATEMPO, parte do grupo Sempre Editora, realizada com recursos próprios, por meio de 2.000 entrevistas domiciliares, entre os dias 30 de abril e 5 de maio de 2022. Margem de erro: 2,19 pontos percentuais. Nível de confiança: 95%. Registro: TSE BR-00720/2022 e TRE-MG MG-01720/2022.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui