Concurso que elege melhores queijos artesanais do Brasil tem 12 finalistas mineiros

0

Doze mineiros são finalistas do Concurso de Queijo Artesanal da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), que vai premiar os melhores queijos do Brasil. A confederação divulgou, nessa quarta-feira (18), os quinze selecionados da primeira etapa da disputa. A próxima acontecerá no dia 8 de junho, em Brasília, e serão avaliados por júri popular conforme análise sensorial.

Os selecionados de Minas Gerais são dos municípios de Airuoca, Alagoa, São Roque de Minas, Andrelândia, Virgínia, Formiga, São Brás do Suaçuí, Itanhandu e Tapira. Os outros dois são de Arapoti (PR) e Iraceminha (SC). Conheça os finalistas mineiros em cada categoria do concurso:

Pub Artigo

Queijo Artesanal Tradicional de 30 à 180 dias de maturação:

  • Arnaldo Ferreira Borges – Queijos Aiuruoca (Aiuruoca)
  • Francisco Antonio de Barros Jr – Sabor da Alagoa (Alagoa)
  • Hugo Faria Leite – Roça da Cidade (São Roque de Minas)
  • Joaquim Luiz de Carvalho – Parmesão da Generosa (Andrelândia)

Queijo Artesanal com Tratamento Térmico:

  • Carlos Henrique Cugler Lamim – Maranata Bronze (Virgínia)
  • Edmilson Rolindo – Canastra Melhor de Minas (Formiga)
  • Joaquim Luiz de Carvalho – Lendário da Generosa (Andrelândia)
  • Larissa Silva Melo – Queijo Cana Velha Tradicional (São Brás do Suaçuí)

Queijo Artesanal com adições / aromatizantes / condimentos:

  • Adalberto Mendes de Barros -Sítio da Onça (Alagoa)
  • Larissa Silva Melo – Queijo Cana Velha Maturado no Café (São Brás do Suaçuí)
  • Queijos Almeida Guimarães – Queijos Almeida Guimarães Rosso (Itanhandu)
  • Reginaldo de Assis Castro – Queijo Três Irmãos com Mofo Branco (Tapira)

Especialistas fazem avaliação sensorial

A Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais) qum realizou essa etapa, por meio de uma comissão técnica julgadora. Ao todo, 12 especialistas selecionaram as amostras através de uma avaliação sensorial, de caráter eliminatório e classificatório.

Produtores de 13 estados brasileiros cadastrados no Programa de Alimentos Artesanais e Tradicionais da CNA enviaram cerca de 60 queijos. O alimento passou por classificação quanto ao aspecto global, cor, textura, odor, aroma, consistência e sabor, de acordo com as premissas da ciência de Anaálise Sensorial.

“Mesmo com diversas inciativas semelhantes ocorrendo nesse primeiro semestre em todo o Brasil, houve uma boa participação de amostras em todas as categorias. Os jurados elogiaram bastante a qualidade dos produtos de forma geral”, disse o engenheiro de alimentos e um dos coordenadores da avaliação, Paulo Henrique Costa Paiva.

Avaliação da história do produto

A etapa que classificou os 15 queijos tem peso de 40% na nota final geral. Os alimentos escolhidos passarão por avaliação por meio de uma escala hedônica. Tal metodologia tem a função de analisar a aceitação dos consumidores por determinados produtos através de uma avaliação que possui uma escala de respostas previamente etabelecida.

A próxima etapa terá peso 50% na nota final geral da disputa. Além disso, a comissão organizadora avaliará a história do produto, que possui 10% de peso na nota final. Tanto os resultados quanto a premiação serão divulgados posteriormente.

Fonte: BHAZ

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui