‘Começamos a assistir cenas de horror, pessoas clamando por atendimento e não temos vagas nas unidades de saúde’, disse o governador em pronunciamento nesta terça-feira (16).

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), confirmou, em entrevista coletiva nesta terça-feira (16) que vai impor ao Estado a onda roxa, mais restritiva do Minas Consciente, durante 15 dias, diante do crescimento de casos do novo Coronavírus.

Só poderão funcionar os serviços essenciais e há toque de recolher entre 20h às 5h, além da implantação de barreiras sanitárias. Quem circular pelas ruas está sujeito a fiscalização das forças de segurança e precisa justificar o porquê de estar fora de casa. Sequer encontros de pessoas da mesma família, mas que vivem em casas diferentes, são permitidos.

“Com o advento da segunda cepa, tivemos um grande aumento no número de casos e óbitos. Essa situação não é exclusividade de Minas ou do Brasil, mas ocorre em vários países do mundo. Chegamos num ponto em que o nosso sistema de saúde entrou em colapso, mais pessoas procuram os nossos hospitais do que nós temos capacidade de atendimento”, declarou o governador de Minas Gerais. “Começamos a assistir cenas de horror, pessoas clamando por atendimento e não temos vagas nas unidades de saúde. É isso que queremos em Minas? Ver as pessoas morrendo na rua? Tenho certeza que essa não é a opinião do povo mineiro”, completou.

Além do governador, participaram da coletiva o novo secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, e o comandante-geral da Polícia Militar de Minas Gerais (PMMG), coronel Rodrigo Sousa Rodrigues. 

Vacinação

A medida válida por 15 dias, já começa nesta quarta-feira (17/3). “A outra alternativa seria se amanhã a gente conseguisse vacinar toda a população. Estamos atrás de cinco vacinas. Se esses laboratórios fornecerem para estados e municípios, a vacina vai chegar a Minas Gerais”, disse Zema nesta manhã. 

O governador avalia que, em até dois meses com vacinação, poderá haver uma queda expressiva no número de casos. Mas, enquanto isso, o “sacrifício” da maior restrição é necessário. “Estamos aqui para preservar a vida dos mineiros. Tem um custo? Tem. Mas na minha opinião, bem menor do que a vida de todos os mineiros”, pontuou. 

Decisão conjunta com prefeituras

A proposta de ampliação da onda roxa para todo o estado foi lançada em reunião virtual fechada com prefeitos nessa segunda-feira (15/3). O sinal positivo dos municípios fez com que Zema decidisse editar decreto. Pouco depois da reunião, Zema publicou um vídeo confirmando as medidas restritivas. De acordo com o governador, todas as regiões de Minas enfrentam dificuldades em oferecer atendimento médico para quem precisa.

“Chegamos, agora, no momento mais difícil. Os hospitais estão no limite, ao mesmo tempo em que muitas pessoas não estão respeitando as medidas de isolamento. O resultado é que todas as regiões do estado enfrentam, hoje, dificuldades para oferecer atendimento médico. Por isso, ouvindo os especialistas em saúde e o nosso comitê de enfrentamento à COVID, anunciamos medidas mais duras, pensando na proteção de todos os mineiros e para garantir atendimento adequado”, disse o governador.

Fonte: Jornal O Tempo e Jornal Estado de Minas

Imagem: Divulgação

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui